Lesões do Ligamento Cruzado Anterior

Lesões do Ligamento Cruzado Anterior


Lesões do Ligamento Cruzado AnteriorO ligamento cruzado anterior (LCA) é um importante estabilizador da articulação do joelho e com o aumento da prática esportiva, vem sofrendo cada vez mais um maior número de lesões, que podem ser desde uma ruptura parcial até mesmo uma lesão completa, que muitas das vezes necessita de uma abordagem cirúrgica para que o indivíduo volte aos esportes.

Existe também a abordagem conservadora à respeito dessas lesões, onde é feita a opção por não operar, mas nesse artigo vamos falar um pouco à respeito da reabilitação pós-operatória.

A fisioterapia, após esse procedimento cirúrgico dura, em média, seis meses, podendo durar até um pouco mais. Entretanto, os cuidados já devem ser tomados desde o primeiro dia depois da cirurgia no que diz respeito ao posicionamento ideal do paciente no leito: preconiza-se por deixar o joelho sempre em extensão (ou seja, esticado) quando estiver deitado. O uso de uma almofada ou um travesseiro embaixo do joelho será bem mais cômodo ao paciente, mas isso pode levar a uma complicação pós-operatória no que diz respeito ao ganho de amplitude de extensão do paciente. Em outras palavras: será mais difícil fazer com que o joelho estique totalmente logo nos primeiros dias da cirurgia, o que acaba atrasando um pouco toda a reabilitação.

Outra preocupação que devemos ter ainda nos primeiros dias de cirurgia é no que diz respeito ao controle do processo inflamatório localizado no joelho. Para isso, nada melhor que o uso incansável de gelo, aproximadamente meia hora de uso a cada duas de repouso.

Uma pergunta bem frequente dos pacientes que passam por essa cirurgia é: “quando eu vou conseguir andar e quando eu vou conseguir dobrar o meu joelho todo de novo?”.

Essas questões são bem interessantes e posso dizer que após o procedimento cirúrgico, na grande maioria das vezes indica-se o uso de duas muletas por uma semana, no oitavo dia tiramos uma muleta e o paciente usa somente uma por mais uma semana e, no décimo quinto dia (em média), as muletas são deixadas de lado.

No que diz respeito à movimentação do joelho, em média na primeira semana após a cirurgia é alcançado 90 graus de flexão do joelho e, a partir de então, preconiza-se o ganho de 10 graus a cada semana, sendo alcançada a amplitude total de flexão do joelho por volta de quatro ou cinco semanas depois da cirurgia.

Outro aspecto que devemos ter em mente no início da reabilitação e que deve ficar em mente até o ultimo mês antes da volta ao esporte é a força muscular. O quadríceps (músculo da parte da frente da coxa e um dos mais fortes do corpo) é o músculo que mais fica fraco com a reconstrução do LCA, por isso, devemos fazer um trabalho específico de força para essa musculatura desde as primeiras semanas. Para isso temos usado cada vez mais o que chamamos de eletroestimulação neuromuscular (uns choques que são dados no músculo, fazendo com que ele contraia mais vigorosamente, mesmo que o paciente não queira, aumentando assim a sua capacidade de contração).

O que não podemos esquecer é que, apesar de ficar fraco, existe uma forma correta de se fortalecer esse músculo, se não respeitarmos o que chamamos de “angulação de proteção” do LCA, podemos, inclusive, deixar o joelho mais “frouxo” depois da cirurgia, portanto, esse treino de força não deve ser feito de forma deliberada, uma vez que existem estudos que comprovam como deve ser guiado esse fortalecimento.

Grande parte das lesões desse ligamento são adquiridas de forma atraumática, ou seja, o paciente acaba rompendo o LCA sozinho, sem ter sofrido nenhum trauma direto na articulação do joelho. Isso se dá devido ao déficit de controle do membro inferior, fazendo com que a perna faça movimentos lesivos tanto à articulação do joelho, quanto ao tornozelo, quadril e até mesmo coluna. Pensando nisso e, também para prevenir futuras lesões, durante a reabilitação é feito também um treino de controle biomecânico específico, focado em alguns músculos que ajudam tanto na articulação do joelho como no quadril e tornozelo. Assim, além de funcionar como tratamento para a cirurgia que foi realizada, serve também de treino preventivo de futuras lesões.

E o esporte? Quanto tempo depois da cirurgia poderemos voltar a praticar?

Bom, isso dura, em média, sete meses, mas antes disso são feitos vários testes específicos durante a reabilitação para que o atleta não corra nenhum risco de nova lesão quando tiver voltando as suas práticas.

É importante lembrar ainda que, independente do esporte que está sendo realizado, existem vários tipos de exercícios que podem ser feitos para a prevenção de inúmeras lesões frequentes em cada esporte. Por isso, procure o seu médico e o seu fisioterapeuta de confiança para uma boa avaliação e siga em frente.

Um abraço a todos!

Referências

  • Annette Heijne; Suzanne Werner. Early versus late start of open kinetic chain quadriceps exercises after ACL reconstruction with patellar tendon or hamstring grafts: a prospective randomized outcome study. Knee Surg Sports Traumatol Arthrosc. 2006;
  • Hughes G, Watkins J.A risk-factor model for anterior cruciate ligament injury. Sports Med 36:411–428 (2006);
  • Bynum EB, Barrack RL, Alexander AH. Open versus closed chain kinetic exercises after anterior cruciate ligament reconstruction. A prospective randomized study. Am J Sports Med 23:401–406 (1995);
  • Fleming BC, Ohlen G, Renstro¨m PA, Peura GD, Beynnon BD, Badger GJ. The effects of compressive load and knee joint torque on peak anterior cruciate ligament strains. Am J Sports Med 31:701–707 (2003).

 

Quer Saber Mais?

 


Sem Comentários

Poste um Comentário